Peeling Químico

  • Peeling Químico

    O peeling químico é um procedimento não invasivo de combate ao envelhecimento cutâneo.

    Em sua composição são utilizadas substâncias químicas que promovem a esfoliação da pele, a renovação da epiderme (camada mais superficial da pele) e a estimulação da derme (camada onde se localizam as fibras colágenas e elásticas), levando à remoção das camadas da pele promovendo um estímulo à renovação celular, obtendo-se uma pele com aspecto mais viçoso e saudável.

    Está indicado para a melhora da textura da pele, tratamento de estrias, tratamento de acne, manchas, rejuvenescimento da pele, rugas finas e marcas de expressão, além de melhorar sua textura e cor.

    Os peelings são classificados em superficiais, médios e profundos, de acordo com a espessura e quantidade de pele retirada.

    Vantagens

    • Tratamento rápido e seguro;
    • Praticamente indolor, em que o paciente pode sentir apenas um leve ardor;
    • Não invasivo;
    • Pode ser associado a outros tratamentos estéticos faciais para potencializar o resultado, como a luz intensa pulsada e o laser pixel.

    As principais indicações do tratamento são:

    • Tratar rugas finas;
    • Promover um clareamento da pele;
    • Eliminar manchas de sol;
    • Tratar acne, cravos e espinhas;
    • Cicatrizes leves;
    • Melhorar a textura da pele;
    • Reduzir o excesso de oleosidade da pele;
    • Promover o rejuvenescimento facial.

    Cuidados após o procedimento:

    * É normal sentir um leve ardor e apresentar vermelhidão no lugar tratado, tal sensação Tal persiste geralmente apenas por alguns minutos.

    * Após 48h inicia-se, para a maioria das pessoas, uma descamação leve. Durante o tratamento, é necessário evitar a exposição solar, sendo indispensável o uso de protetor solar indicado pelo dermatologista.

    * Os peelings podem ser repetidos em intervalos variados conforme o tipo de pele, o grau de envelhecimento e os resultados obtidos em peelings anteriores.