Transplante de Córnea

  • A córnea é uma estrutura localizada à frente dos olhos, de forma transparente, sentido comparativo, como se fora um vidro de relógio sobre a parte colorida (íris) por onde a luz atravessa como se fosse uma janela.

    As imagens através dela passam atrás pelo cristalino (lente) e os raios de luz incidem sobre a retina, atrás dos olhos. Essas imagens são transferidas para o cérebro através do nervo óptico onde são interpretadas.

    Anormalidade da Córnea
    Irregularidades, opacificações e outros transtornos da córnea implicam em diferentes problemas. A interferência na transferência corneana é similar a um vidro sujo, impedirá a livre passagem de luz através dos olhos, resultando em uma visão pobre (reduzida).

    O transplante corneano se faz necessário, observadas as seguintes regras.
    * Após infecções e injúrias nos olhos.
    * Distrofia de córnea.
    * Ceratocone (anormalidade onde a córnea torna-se cônica)
    * Perda da transparência corneana após cirurgia de catarata ou outras.
    * Outras causas menos comuns.

    O Transplante de Córnea é uma cirurgia que consiste na substituição de um disco corneano doente por outro, sadio, de um doador. Respeitando o mesmo tamanho e forma se reveste no mais seguro e comum transplante de órgão.

    Banco de Olhos
    A doação de olhos é feita através de diversos Bancos de Olhos existentes em cidades Brasileiras, bem como no exterior. As córneas originam-se, então, de doadores que foram a óbitos recente, cuja disposição de doar já foi formalizada em vida pelo falecido, ou então, por familiares, voluntariamente, logo após o óbito.

    A idade, sexo, raça, tipo sanguíneo ou cor dos olhos não são de relevância na doação.

    Os doadores são devidamente tríados, excluindo-se desde logo pessoas que já foram diagnosticadas com infecções comprometedoras, como tumores e doenças transmissíveis.

    As córneas retiradas são submetidas a cuidadosos exames, sendo somente utilizados quando da constatação segura da inexistência de vírus da Aids, Hepatite, alterações e outros. A maioria dos olhos doados é utilizada para transplante de córnea ou utilização da esclera.

    Olhos não viáveis em virtude de quaisquer alterações em sua estrutura ou não sadios são utilizados em estudos e trabalhos para o desenvolvimento de técnicas cirúrgicas. Olhos doados nunca são inúteis ou perdidos.

    Expectativa após cirurgia
    Logo após a realização da cirurgia a visão será baixa, podendo num prazo de 6 a 12 semanas tornar-se mais clara, e o resultado do diagnóstico complementar ocular mais previsível.

    Alguns pontos da sutura poderão ser retirados nesse período ou deixados indefinidamente. A renovação destes fios, menos espessos que um fio de cabelo é totalmente indolor.

    Após a cirurgia, poderá o paciente locomover-se, assistir televisão, ler ou exercer atividades visuais, abstendo-se de atividades físicas, abaixar a cabeça, dormir do lado do olho cirurgiado, esfregar os olhos, carregar objetos, praticar atos sexuais e usar pinturas na região dos olhos. (Pós-operatórios imediatos)

    Riscos da cirurgia
    Como todas as outras cirurgias oculares, o transplante é extremamente delicado, havendo riscos de hemorragia e infecções no olho durante o ato operatório, felizmente raras. Porém quaisquer desses ou outros incidentes poderão ocasionar perda de visão no olho operado e outras possíveis complicações, que seguem:

    * Falência da córnea doada – Após o transplante a córnea torna-se opaca, sem transparência, e, nesse caso deverá ser substituída.

    * Rejeição – Mesmo que a córnea substituída seja saudável, o organismo receptor poderá rejeitar. Caso a rejeição venha a ser detectada prematuramente, poderá haver correção mediante tratamento clinico e com grande margem de sucesso. Porem, caso a rejeição não se reverta terá como resultado uma córnea sem transparência.

    Após a rejeição, a córnea poderá ser substituída em uma nova cirurgia. Algumas rejeições poderão ocorrer após um ou vários anos, mas de maneira menos comum.

    * Astigmatismo – É a irregularidade da córnea que terá como resultado a distorção da visão, na maioria dos casos, corrigida com o uso de óculos ou lente de contato.

    * Algumas pessoas desenvolvem um fluido macular, que é parte da retina, causando alterações na visão central (Edema Macular).

    Mesmo no caso de transplante bem sucedido, caso ocorram alterações maculares, a visão será pobre.

AOS NOSSOS AMIGOS E CLIENTES

Comunicamos que devido as festas de final de ano estaremos em recesso a partir de 21/12/2018 retornando as atividades normais em 02/01/2019

DESEJAMOS A TODOS BOAS FESTAS

EQUIPE DERMAVISUS
DERMATOLOGIA E OFTAMOLOGIA